Culinária mediterrânea promove equilíbrio

0

*por  Rocío Río de la Loza

SAMSUNG CSC As delícias da gastronomia atiçam nossos sentidos e nos desviam, facilmente, da dieta saudável.  Moderamente, é sempre possível apreciar uma boa receita. Mas para seguir um estilo de vida  saudável é imprescindível combinar uma alimentação equilibrada com a prática de exercícios e o  número adequado de horas de descanso. Cumprindo estas necessidades está a dieta mediterrânea,  que ganhou protagonismo nos últimos anos.

Esta dieta que proveem do mar mediterrâneo é uma herança cultural valiosa que valoriza um estilo  de vida equilibrado com uma amplia variedade de ingredientes e sabores. Segundo a Fundação Dieta  Mediterrânea, entre os numerosos benefícios para a saúde podemos destacar o tipo de gordura  consumida (azeite de oliva, pescado e frutos secos), as porções de nutrientes principais (cereais inteiros e vegetais como base de pratos e carnes similares como “guarnição”) e a riqueza dos micronutrientes que contém suas receitas. Aliás, outra vantagem desta dieta é poder consumir as verduras da temporada, sendo assim mais fácil encontrar os ingredientes. Por outro lado, em 2010 a UNESCO a declarou como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Por isso, compartimos oito conselhos para seguir esta dieta saudável e alguns de seus principais benefícios para a saúde:
Na variedade está sua riqueza: diga não as dietas milagrosas que prejudicam a saúde e aposte pela dieta mediterrânea. As diretrizes de sua pirâmide nutricional incluem em maior ou menor medida todos os grupos de alimentos: cereais, ovos, legumes, produtos lácteos, verduras e frutas da temporada, pescado azul e carnes vermelhas e brancas.
O azeite de oliva como pilar: a Fundação Dieta Mediterrânea indica que o azeite de oliva é “um alimento rico em vitamina E, betacarotenos e ácidos graxos monoinsaturados responsáveis por propriedades cardioprotetoras”. A chave do êxito está em utilizar o chamado ouro líquido para cozinhar alimentos saudáveis e temperar saladas e outras receitas nutritivas.
Neste sentido, a Fundação Patrimônio Comunal Olivarero apresentou três estudos científicos que afirmam que a dieta mediterrânea, graças a suas receitas com azeite de oliva extra virgem e frutos secos, reduz até um 30% o número de mortes de causa cardiovascular, infarto do miocárdio e acidentes cerebrovasculares.
Importância da hidratação: beber dois litros diários de água (entre 5-6 copos) ajuda no bem-estar e a manter o equilíbrio. Esta quantidade varia em função da idade e do exercício que pratique cada um. Os chás podem ser um importante complemento.
Praticar exercícios: é aconselhável adaptar as atividades físicas de acordo com as características de cada pessoa. O objetivo é entrar em forma, ser adepto a um estilo de vida saudável e favorecer o controle de peso junto com uma alimentação equilibrada.
O segredo da eterna juventude: segundo a revista British Medical Journal, uma alimentação baseada nos pilares de uma dieta mediterrânea favorece a longevidade graças as propriedades antioxidantes dos seus alimentos (entre os mais importantes está o azeite de oliva extra virgem).  Além disso, esta dieta saudável reduz os riscos de sofrer de câncer e melhora a saúde cardiovascular.
Receitas fáceis: a cozinha tradicional é uma das bases da dieta mediterrânea, utilizando seus produtos saudáveis é possível elaborar receitas fáceis e nutritivas. Para seguir esta dieta não é imprescindível viver na zona mediterrânea já que estes alimentos podem ser adquiridos em qualquer lugar. Inclusive até os mais inexpertos serão capazes de preparar muitos de seus pratos.
Previne a obesidade: por este motivo é aconselhável que a dieta mediterrânea forme parte do seu estilo de vida desde a infância. Esta dieta é um habito saudável que favorece o controle de peso e reduz o risco de sofrer sobrepeso nas diferentes etapas da vida.
Favorece a gravidez: a dieta mediterrânea, segundo um estudo elaborado pela Universidade de Navarra (Espanha), aumenta a fertilidade e as possibilidades das mulheres engravidarem. Mais de seis anos de estudos revelaram que as mulheres que seguiram o padrão mediterrâneo em sua alimentação acudiram um 44% menos ao médico por não conseguir engravidar. Rocío Río de la Loza, Health Coach, explica que a dieta também reduz a pressão arterial, o colesterol alto, a asma, ajuda a combater o Parkinson e o Alzheimer, evita a resistência a insulina, a depressão, além de cuidar da saúde dental, melhorar a artrites reumatoide e incrementar a qualidade de vida. Desta forma, a consultora em nutrição e saúde integral acrescenta que a dieta mediterrânea também previne e ajuda a combater doenças crônicas. Sendo ideal para pessoas de todas as idades, vegetarianos e inclusive com intolerância ao glúten.

  * Rocío Río de la Loza é Health Coach

 

 

Compartilhe.

About Author

Deixe um Comentário